O mês de Outubro é o Mês Internacional da Saúde Mamária. Tendo em vista consciencializar os cidadãos para este problema, o Parlamento Europeu organizou uma exposição intitulada “Outubro rosa: faça o rastreio do cancro da mama”, que sublinha a importância da prevenção e do rastreio no combate ao cancro da mama.

 

O que é?

 

O nosso organismo é constituído por unidades microscópicas, designadas por células, só visíveis através do microscópio, que se dividem periodicamente e de forma regular com a finalidade de substituir as já envelhecidas ou mortas e manter assim a integridade e o correcto funcionamento dos diversos órgãos.

Quando o processo de divisão celular sofre alguma alteração há uma divisão descontrolada e, passado algum tempo, aparecerá um tumor ou nódulo.

A massa formada pela divisão repetida de células anormais tem o nome de tumor.

Nem todos os tumores são cancros. Existem tumores de dois tipos:

Tumores benignos, que não se espalham por metástases nem se infiltram nos tecidos circunvizinhos; muitas vezes estão envolvidos por uma cápsula que os impede de se espalharem (por exemplo um gânglio ou quisto);

Tumores malignos; ao que chamamos cancro.

 

O que causa o cancro?

 

Para uma divisão celular alterada é necessário existirem substâncias responsáveis por esta transformação designadas por agentes carcinogéneos. Um exemplo destes são as radiações ultravioletas do sol, agentes químicos, etc.

 

Diagnóstico e detecção precoce

 

Embora não saibamos como evitar todos os tipos de cancro, alguns podem ser detectados no seu início. Na maioria dos casos a detecção precoce e o tratamento imediato levam a um prolongamento do tempo e da qualidade de vida. Quanto mais cedo for detectado um cancro, maior a probabilidade de cura.

 São métodos de detecção precoce:

A mamografia e a ecografia mamária são exames muito importantes no diagnóstico precoce do cancro da mama. O sucesso do tratamento depende em grande parte do diagnóstico precoce.

Análises clínicas: sangue, urina, líquido pleural, etc.

Testes de imagem: estes testes permitem obter imagens do interior do corpo. São importantes para determinar a localização, tamanho e extensão da doença (Radiografia, Tomografia Axial Computarizada, Ecografia, Endoscopia, etc.).

Biópsia e estudo anatomopatológico: Permitem o estudo dos tecidos. Quando o resultado das análises e testes de imagem indicam a existência de uma lesão suspeita de malignidade, é necessário avaliar se se trata de um cancro. Tão importante como conhecer o órgão onde se encontra o tumor é conhecer o tipo de célula que o forma. Para isso, é necessário uma amostra de células do tecido.

 

Números…

 

O cancro da mama é uma doença que se desenvolve sobretudo na mulher (apenas um em cada cem se desenvolve no homem) e tem uma alta mortalidade. De acordo com números apresentados pela Liga Portuguesa Contra o Cancro, aparecem actualmente em Portugal 4500 novos casos de cancro da mama por ano, o que significa onze novos casos por dia. Quatro mulheres por dia morrem por causa desta doença.

 

Reciclagem ajuda prevenção de cancro da mama

 

A Resioeste, empresa do Grupo EGF responsável pela gestão do sistema multimunicipal de tratamento e valorização de resíduos “Centro de Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos do Oeste”, associou-se à luta contra o cancro, enquanto parceira da Sociedade Ponto Verde (SPV) e da Associação Laço na campanha “2 causas por 1 causa”.

Esta campanha visa associar as causas “ambiental” e “social” numa só, promovendo que as embalagens de vidro, plástico/metal e papel/cartão que sejam correctamente depositadas nos Ecopontos e encaminhadas para reciclagem possam ajudar a implementar acções de rastreio do cancro da mama.

No âmbito desta campanha, por cada tonelada de embalagens recicladas em 2008, provenientes da actividade de recolha selectiva nos municípios de Cadaval, Bombarral, Alenquer, Azambuja, Rio Maior, Sobral de Monte Agraço, Arruda dos Vinhos, Torres Vedras, Lourinhã, Peniche, Óbidos, Caldas da Rainha, Alcobaça e Nazaré a Resioeste e a SPV vão contribuir com 1,5 euros.

O valor a angariar destina-se, em particular, à aquisição de duas unidades de rastreio móvel, no valor de 390 mil euros, que permitirão facilitar anualmente o acesso ao rastreio deste tipo de cancro a cerca de 20 mil mulheres.

 

(Ler mais)

No nosso Agrupamento a cor ROSA também esteve presente…

Anúncios